Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

GALERIA DOS GOESES ILUSTRES

INTROSPECÇÃO SOBRE A ORIGEM, O ALCANCE E OS LIMITES DA IDENTIDADE GOESA, E O SEU CONTRIBUTO HISTÓRICO E SOCIAL EM PORTUGAL E NO MUNDO

GALERIA DOS GOESES ILUSTRES

INTROSPECÇÃO SOBRE A ORIGEM, O ALCANCE E OS LIMITES DA IDENTIDADE GOESA, E O SEU CONTRIBUTO HISTÓRICO E SOCIAL EM PORTUGAL E NO MUNDO

424 CYPRIAN FERNANDES (Setembro, 1943)

49047620_1156987591135198_7492203434326622208_n.jp

 



Expoente maior do jornalismo queniano, Cyprian Fernandes nasceu em Eastleigh, um subúrbio pobre e segregado de Nairóbi, capital do então Quénia britânico.

Abandonada por um pai alcoólatra, a família de Cyprian Fernandes sobreviveu graças ao trabalho árduo e à muita fé da mãe, iletrada e formalmente pouco qualificada, que ainda hoje é lembrada com grande afeto. 

Rosa Maria Fernandes criou os seus seis filhos sozinha. 

Apesar de pobre e das grandes dificuldades, a família sempre nutriu um grande orgulho tanto na sua cristianidade, como na sua herança portuguesa.

Aos doze anos, Fernandes é preso inadvertidamente, durante uma incursão policial no bairro de Eastleigh, na sequência da Revolta dos Mau Mau.

Aos 13 resolve abandonar a escola, após ter sido injustamente acusado de ter roubado vinho do altar da igreja escolar. 

No início da sua juventude, Fernandes começa a trabalhar no grupo editorial Nation Group, que pertencia a Aga Khan, onde trabalha também Joe Rodrigues (421), que o apadrinha.

Neste grupo colabora nos jornais Daily Nation e Sunday Nation. 

Torna-se comentador politico, viajando pelo mundo com o Presidente Jomo Kenyatta e ou a sua comitiva, incluindo Joseph Zuzarte Morumbi, politico filho de pai Goês e mãe Masai.

Fernandes cobre os Jogos Olímpicos de Munique em 1972, onde o Quénia é uma grande potência desportiva. Testemunha o massacre perpetrado pela OLP contra a delegação israelita. 

Entrevista o ditador ugandês Idi Amin Dada, responsável pela expulsão do asiáticos do Uganda, categoria essa onde os goeses acabam por ser incluídos. 

Fernandes é provavelmente a primeira testemunha dos massacres ordenados pelo ditador. Porém as provas fotograficas são destruídas pelo chefe editorial Boaz Amori.

Em 1974, sentindo a sua vida em risco, opta por viver com a sua família na Austrália onde se encontra ainda hoje.

Cyprian Fernandes faz parte do rol de goeses que muito contribuiram para essa grande esperança que foi o Quénia independente dos anos 60, onde se incluía Pio Gama Pinto, Joseph Zuzarte Morumbi, Seraphino Antão, Joe Rodrigues, Fitz de Souza, entre tantos outros.

adaptação

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D